OBJETIVOS E INICIATIVAS

Para evoluir na estratégia de crescer com sustentabilidade, a Braskem conta com uma base sólida de gestão e uma forte cultura empresarial. Nesse contexto, definimos dez macro-objetivos prioritários de atuação, a partir de uma análise de materialidade baseada em consulta às partes interessadas. Conheça-os a seguir, assim como as iniciativas que estão sendo realizadas pela Braskem rumo ao desenvolvimento sustentável.

  • Segurança
  • Resultados econômico-financeiros
  • Pós-consumo
  • Recursos renováveis
  • Eficiência hídrica
  • Mudanças climáticas
  • Eficiência energética
  • Desenvolvimento local
  • Desenvolvimento de soluções
  • Fortalecimento das práticas em desenvolvimento sustentável

Para cada um desses temas prioritários, há uma série de iniciativas em andamento e outras planejadas para ocorrer até 2020. Confira a seguir:

  • SEGURANÇA

    - 2010: Registro dos produtos da Braskem no sistema europeu REACH (Registration, Evaluation, Authorization and Restriction of Chemical Substances). Assumiu a Liderança, na América Latina, do Global Product Strategy, ligado ao ICCA (International Council of Chemical Associations). Iniciou a implantação do Sistema de Excelência em Segurança, Saúde e Meio Ambiente (Sempre) nas unidades adquiridas da Sunoco Chemicals e Quattor.

    - 2011: Submissão do Plano de Implantação do GPS ao ICCA em conjunto com a Abiquim e emissão dos safety summaries de 27 substâncias e dos planos de controle, conforme GPS, de duas substâncias. Priorizada a evolução na gestão de segurança de processos, através do projeto varredura de riscos altos, tendo sido analisados e implementadas melhorias para 608 cenários de risco de processo, além disso foi iniciado a implantação das Regras de Ouro para fortalecer a disciplina operacional.

    - 2012: Concluída a análise de riscos de benzeno e butadieno, em conformidade com o Guia do GPS. O projeto para substituição das células eletrolíticas do processo de produção de cloro para eliminação de mercúrio encontra-se em estágio conceitual. Eliminados 177 cenários de potencial de risco alto e obtida a taxa de frequência de acidentes sem e com afastamento de 1,04 acidentes por milhão de horas trabalhadas a melhor taxa histórica da Braskem, desde 2002.

    - 2013: Foi mantida a melhor taxa histórica da Empresa em segurança do trabalho, com e sem afastamento (CAF+SAF): 1,04 e Investidos R$ 151 milhões em segurança do trabalho, segurança do processo e saúde. Registrado o melhor resultado histórico da Empresa em relação ao índice de geração de resíduos 2,19 Kg/t, representando uma melhoria de 62% no período de 2002 a 2013.

    > 2012-2015: liderar a implementação do GPS - Global Product Strategy na América Latina.

    > 2012-2015: promover a melhoria contínua do risk rating, índice de segurança de processos estabelecido por companhias seguradoras, de forma a alcançar, no mínimo, 90 pontos na média da Braskem, com todas as plantas above standard (acima do padrão).

    > 2014-2015: Identificar alternativas para substituição de substâncias depletoras da camada de ozônio.

    > 2012-2015: manter estável a geração de resíduos e permanecer como referência no setor.

    Ser reconhecida como a referência em Segurança química, do trabalho e processos no setor químico mundial.

  • Resultado Econômico - Financeiro

    - 2010: Adquiriu a Quattor Participações S.A, no Brasil, e os ativos de polipropileno da Sunoco Chemicals, nos Estados Unidos.

    - 2011: a Companhia adquiriu o negócio de polipropileno (PP) da Dow Chemical, com quatro unidades produtivas, duas nos Estados Unidos e duas na Alemanha. Com investimento de US$ 323 milhões, a Braskem tornou-se líder em PP nos Estados Unidos, o maior mercado de resinas termoplásticas do mundo.

    - A Braskem e a Petróleos Del Peru (PetroPeru) anunciaram a assinatura de um Memorando de Entendimento para análise técnica e econômica da viabilidade de um projeto petroquímico no Peru.

    - 2012: Concluída após dois anos de obras e dentro do prazo e do custo previstos, a unidade de PVC recebeu investimento de R$ 1 bilhão, o maior já feito em um único projeto desde a criação da Empresa, há 10 anos e 20% de avanço no projeto industrial em implantação no México, seguimos com nosso crescimento internacional, que prevê investimentos da ordem de U$ 2,5 bilhões.

    - 2013: Aquisição realizada em dezembro junto à Solvay, com duas plantas no Brasil e duas na Argentina, ainda sujeita à aprovação das autoridades reguladoras de mercado de ambos os países e avanço de 60% do projeto Etileno XXI, no México, desenvolvido em associação com a petroquímica local Idesa - joint venture Braskem-Idesa.

    > 2013-2015: Obras e partida do projeto Etileno XXI, com capacidade de 1 milhão de toneladas de PE base gás. Partida em junho de 2015.

    Ser o líder em cada mercado que atuamos nas Américas, garantindo lucratividade que sustente a perpetuação do negócio, e mantendo a classificação como "Investment Grade" nas 3 principais agências internacionais

  • PÓS-CONSUMO

    - 2010: Investiu no suporte ao desenvolvimento técnico, que abrange 38 centrais de triagem e reciclagem mecânica de plásticos, no Rio Grande do Sul.

    - 2011: Assinado contrato com a Novaenergia para fornecimento de nafta produzida a partir de plástico pós-consumo. Início da operação em 2013.

    - 2012: Firmados estudos em parceria com a Odebrecht Ambiental para viabilizar uma Unidade de Valorização Energética (UVA) em Mauá (SP). Sem previsão para definição de modelo de negócio e parceria e O projeto de reciclagem química, para implantação de uma usina de conversão de plástico do pós- consumo em nafta, em Salvador (BA), permanece em fase de estudos e entendimento das dificuldades de seleção de tecnologia (parceria com a empresa Nova Energia). Não há previsão para tomada de decisão.

    - 2013: Revisão do posicionamento da Braskem em relação à reciclagem. A reciclagem mecânica passa a ser prioridade, seguida pela reciclagem química e recuperação energética.

    > 2012-2015: definir um modelo de negócio e de parcerias para a primeira unidade de reciclagem energética no Brasil.

    > 2012-2015: Fortalecimento do projeto socioambiental de apoio a 15 cooperativas de reciclagem mecânica nos estados do RS, SP, RJ, BA e AL

    > 2013-2015: Viabilizar a Unidade de Valorização Energética (UVE) em Mauá (SP) em parceria com a Odebrecht Ambiental.

    > 2012-2013: dar continuidade ao fomento do projeto de reciclagem química.

    Ser reconhecido como um importante agente que contribui para a reciclagem de plásticos.

  • Recursos Renováveis

    - 2010: Entrou em operação, no Polo Petroquímico de Triunfo (RS), a maior unidade industrial de eteno derivado de etanol do planeta, que permite a produção de 200 mil toneladas de polietileno (PE) verde por ano. Exigiu investimentos da ordem de R$ 500 milhões, sendo concebido com tecnologia própria da Companhia. Anunciado em outubro: a construção de uma planta de propeno (PP) verde, com investimentos de US$ 100 milhões.

    - 2011: Cerca de 85% de todo etanol comprado pela Braskem foi fornecido por empresas comprometidas com os princípios de atuação do Código de Conduta para Fornecedores de etanol, seguindo os princípios da Braskem em desenvolvimento sustentável. - Continuidade do desenvolvimento de tecnologias de produção de produtos químicos a partir de matérias-primas renováveis.

    - 2012: Evolução nas pesquisas voltadas para a busca de alternativas tecnológicas em matérias-primas renováveis. Esse é o foco dos estudos realizados no LNBio, em Campinas (SP). O investimento a ser feito na primeira planta de PP Verde segue aguardado um melhor momento e mercado para submeter a aprovação do investimento no Conselho de Administração da Braskem.

    - 2013: Mesmo com aumento no volume de etanol adquirido para produção do PE Verde em relação a 2012, manteve-se um alto nível de fornecimento a partir de fornecedores signatários - média de 98% para o ano, superando a meta de 90%. Os destaques das auditorias dos fornecedoras de etanol foram o resultados de que 100% das usinas demonstraram atendimento dos requisitos relacionados a Direitos Humanos e Trabalhistas e todas fazem a queima controlada do bagaço da cana para geração de energia.

    > 2012-2015: Continuidade de projetos de Inovação e Tecnologia (I&T) para novos produtos e processos a partir de matérias-primas de fontes renováveis.

    > 2013-2014: Lançamento Código de Conduta de Fornecedores de Amido.

    Ser reconhecida como líder na produção de produtos químicos e resinas termoplásticas a partir de matérias primas renováveis. E permanecer como a maior produtora do mundo de resinas termoplásticas de fonte renovável.

  • EFICIÊNCIA HÍDRICA

    - 2010: Reduziu em 12% a geração de efluentes em relação ao ano anterior. Entre 2002 e 2010, houve redução de 36% na geração de efluentes.

    - 2011: Atingimos o índice de 18% de reutilização de toda a água consumida ao longo de 2011. índice de 18% de reutilização de água. No polo de Capuava, em São Paulo, foram iniciadas as obras do Projeto Aquapolo, em parceria com a empresa Foz do Brasil e a Sabesp, para disponibilizar água de reuso.

    - 2012: Obtido o índice de geração de efluentes líquidos de 1,18 m³/t, o melhor índice histórico desde 2002 e índice de reuso atingiu 24,3% com a partida dos projetos de reuso de água Aquapolo em São Paulo e Agua Viva em Camaçari-BA.

    - 2013:Índice de reuso de água da Braskem atingiu 29,45%, uma melhoria de 24% em relação a 2012, totalizando volume total de água de reuso de 20,5 milhões de m³/ano.

    > 2012-2015: Continuar melhorando o índice de consumo de água e percentual de reuso de água da Braskem.

    > 2012-2015: dar continuidade aos projetos de remediação. O processo de gestão de remediação da Braskem tem o foco em prevenção de passivos e mitigação dos possíveis problemas detectados. Os projetos novos apresentam mecanismos de melhorias com eliminação de impactos.

    Continuar como referência em uso de recursos hídricos na indústria química mundial e alcançar o índice de reuso maior que 40%.

  • MUDANÇAS CLIMÁTICAS

    - 2010: Passou a utilizar cana-de-açúcar como matéria-prima para a fabricação de eteno, o que evitará a emissão de até 750 mil toneladas por ano de CO2.

    - 2011: A evolução da gestão em permitiu a entrada da Braskem no Índice Carbono Eficiente (ICO2) da BM&FBovespa, a classificação do inventário da Companhia na Categoria Ouro do GHG Protocol e a entrada da Braskem na categoria Alta Transparência do CDP Carbon Disclosure Project. Realizada a primeira verificação externa independente do inventário de emissões de GEE.

    - 2012: Redução de 12,8 % no indicador de intensidade das emissões de GEE, em comparação com 2008, superando a meta de redução de 11% estabelecida para 2012.

    - Fortalecimento do engajamento da cadeia de Fornecedores nas questões associadas a mudanças climáticas, em alinhamento com iniciativas junto com o CDP Supply Chain, CEBDS, GVces, CNI

    - 2013: O inventário de Gases de efeito estufa da Braskem obteve a classificação ouro no GHG Protocol Brasil pelo 3° ano consecutivo.

    - Alcançamos a posição de líderes no Carbon Disclosure Project-CDP Brasil em 2013, com 99% em transparência e nível A em resultados.

    - Divulgação da pegada de carbono das principais famílias de produtos da Braskem para a Imprensa e para Clientes por meio do programa Visio. As resinas da Braskem produzidas a partir de base nafta possuem melhor pegada de carbono que a média da indústria Americana e Europeia.

    - Pela 3ª vez consecutiva integramos também a carteira do ICO2, que mede a transparência e eficiência de emissões de GEE das empresas do IBrX-50.

    > 2012-2015: Reduzir a intensidade das emissões.

    > 2012-2015: atingir e manter a evolução do CDP na dimensão "transparência" e na dimensão "resultados".

    > 2012-2015: obter os primeiros créditos de carbono. (Prazo: adiado devido à instabilidade do mercado de carbono e queda de atratividade dos créditos.)

    Estar entre as melhores grandes indústrias químicas do mundo em intensidade de emissões de Gases de Efeito Estufa (GEE) e ser um importante sequestrador de emissões de GEE devido ao uso de matérias primas renováveis.

  • EFICIÊNCIA ENERGÉTICA

    - 2010: Redução em 6% a intensidade de seu consumo energético em relação a 2009.

    - 2011: Definidas a base do projeto e a modelagem econômica do Projeto de cogeração com biomassa em Alagoas e Paulínia.

    - 2012: Índice de consumo de energia foi de 10,59 GJ/t de produto produzido, melhor resultado histórico desde 2002, permanece em avaliação a viabilidade de projeto para cogeração de energia.

    - 2013: O índice de consumo de energia acumula uma melhoria de 12%, no período 2002 a 2013.

    > 2012-2015: Continuar a reduzir a intensidade do consumo energético.

    > 2012-2016: continuar a avaliar a viabilidade do projeto de cogeração a partir de biomassa e a partir do uso de resíduos sólidos urbanos.

    Estar entre as melhores grandes indústrias químicas do mundo em intensidade de consumo energético e ser um importante usuário de energia de fonte renovável.

  • DESENVOLVIMENTO LOCAL

    - 2010: Investiu no suporte ao desenvolvimento técnico, que abrange 38 centrais de triagem e reciclagem mecânica de plástico no Rio Grande do Sul, e iniciou as ações para implantar programas de inserção social, por meio da reciclagem, nos estados de AL, BA, RJ e SP.

    - 2011: Foram investidos R$ 16 milhões em projetos socioambientais e culturais. A atuação em inclusão social de catadores tornou-se nacional, abrangendo os estados de AL, BA, SP e RS. Os projetos promoveram melhorias na infraestrutura das cooperativas de reciclagem, capacitação profissional e incremento na renda dos cooperados, beneficiando diretamente 15 cooperativas e 655 pessoas .

    - 2012:Fortalecimento do projeto socioambiental de apoio a 15 cooperativas de reciclagem mecânica nos estados do RS, SP, BA e AL .

    - 2013: Investimentos Sociais Braskem 2013: R$13,3 MM (sem inclusão dos patrocínios incentivados), dos quais R$7 MM doados ao PDCIS, iniciativa da Fundação Odebrecht, e R$ 6,3 MM investidos em ISPs;

    - Captação de recursos externos para ISPs Nacionais superior a R$ 4 MM, junto ao BNDES, Prefeitura de Porte Alegre, Bunge, SEBRAE, Fundação Cargill, etc;

    - Redução de 20 para 12 projetos, com evolução de 72% para 82% do nível de aderência à Política de Responsabilidade Social da Braskem;

    - Formalização do Convênio Geral de Cooperação entre Braskem e Sebrae que viabiliza investimento de 30% Braskem e 70% SEBRAE para incentivar o desenvolvimento de pequenas empresas, cooperativas e associações a fim de fortalecer a cadeia de valor do plástico

    > 2012-2015: Ampliar para nível nacional a abrangência do programa de inserção social, por meio do fortalecimento da cadeia de reciclagem mecânica de plásticos.

    > 2012-2015: Revisar os programas de Investimento Social Privado (ISP), de forma a alinhá-los às principais contribuições da Braskem para a melhoria do IDH, ao Pacto Global e aos Objetivos do Milênio em cada localidade em que a Companhia atua.

    Alcançar o nível de reputação "excelente" na Dimensão Cidadania do RepTrakTM Pulse, demonstrando ser reconhecida pelas comunidades próximas às nossas instalações e pela Sociedade em geral pela sua contribuição para a melhoria do desenvolvimento humano.

  • DESENVOLVIMENTO DE SOLUÇÕES

    - 2011: Divulgação do estudo de ecoeficiência de sacolas de supermercado, concluindo que o impacto ambiental depende dos hábitos de compra dos consumidores. A sacola retornável nem sempre é a melhor opção, e a descartável é a melhor opção para cenários de pouca compra. Além disso, foi identificado que, de um modo geral, a sacola plástica teve menor impacto quando comparada aos seus sucedâneos.

    - 2012: Foram realizados três novos estudos de ACV - sobre o liner verde (Green Liner - projeto com etiquetas autoadesivas), sacaria de ráfia e polipropileno verde -, por meio da Fundação Espaço Eco e ACV Brasil. Os estudos permitem que a Braskem entenda cada vez melhor o impacto ambiental dos seus produtos ao longo do ciclo de vida e, com isso, a relevância da sua contribuição na cadeia.

    - 2013: Foram concluídos 8 estudos e iniciados outros 8 que tem conclusão prevista para 2014 e realizado o evento inaugural da Rede Empresarial Brasileira de ACV, fórum liderado pela Braskem que tem como objetivo a disseminação do uso da ferramenta de ACV e criação de Banco de Dados Brasileiro (Programa Brasileiro de ACV).

    > 2013-2014: Evolução do uso da ferramenta ACV com mais 12 estudos (PE Verde E4Tech, Sacaria de ráfia, Embalagem achocolatado, Bahiamido social e ambiental, Lacres de cerveja, Copos descartáveis 200ml e fastfood 500ml, kits cirúrgicos, bubbledeck, Vitopaper e poços de visita).

    > 2014-2015: Implantação do programa de promoção da imagem do plástico.

    > 2014-2015: Implantação de programa para identificação de ganhos ambientais e sociais em cada desenvolvimento de mercado.

    Ser reconhecida como empresa que apoia seus clientes no desenvolvimento de soluções ambientais e sociais.

    Plástico percebido como solução para o Desenvolvimento Sustentável pela sua contribuição para melhorar a vida das pessoas.

  • FORTALECIMENTO DAS PRÁTICAS

    - 2010: Redefinida a visão de longo prazo, formalizando a incorporação dos princípios do desenvolvimento sustentável em sua condução estratégica

    - 2011: Relatório Anual publicado com nível de aplicação B+ das diretrizes para Relatório de Sustentabilidade G3.1 da Global Reporting Initiative (GRI),

    - 2012: Relatório Anual 2012 publicado com nível de aplicação A+ das Diretrizes para Relatório de Sustentabilidade G3.1 da Global Reporting Initiative (GRI), aumentando a transparência e qualidade das informações com relação ao ano anterior.

    - Pela primeira vez listada no Dow Jones Sustainability Index Emerging Markets, índice internacional de excelência usado por investidores interessados em empresas comprometidas com o desenvolvimento sustentável.

    - 2013: Listada pela segunda vez consecutiva no Dow Jones Sustainability Index Emerging Markets, listada no Dow Jones Sustainability Index Emerging Markets, e fomos incluídos na edição de 2014 do Anuário de Sustentabilidade da RobecoSAM ("The Sustainability Yearbook"), que reconhece as empresas mais sustentáveis de cada setor no mundo.

    - Braskem integra pela 9ª vez consecutiva a carteira do ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial), com pontuação acima da média da carteira e em posição de benchmark na dimensão de mudanças climáticas.

    - Braskem recebeu destaque, por suas ações em sustentabilidade, pelos seguintes meios: Guia Exame de Sustentabilidade, Revista Amanhã, Análise Ambiental e Anuário Época Negócios.

    - Desenvolvimento e validação de ferramenta para posicionamento estratégico de Organizações, assegurando o foco e a elaboração de um plano de ação concreto até 2015. A ferramenta permite que façamos uma gestão do portfolio de atuação nas Organizações como um todo.

    - Além de assumir a presidência do Comitê Brasileiro do Pacto Global, a Braskem passa a integrar grupo de empresas LEAD, criado pela ONU para promover o olhar empresarial na prática dos Princípios do Pacto Global.

    > 2013-2014: Evolução do uso da ferramenta ACV com mais 12 estudos (PE Verde E4Tech, Sacaria de ráfia, Embalagem achocolatado, Bahiamido social e ambiental, Lacres de cerveja, Copos descartáveis 200ml e fastfood 500ml, kits cirúrgicos, bubbledeck, Vitopaper e poços de visita).

    > 2014-2015: Implantação do programa de promoção da imagem do plástico.

    > 2014-2015: Implantação de programa para identificação de ganhos ambientais e sociais em cada desenvolvimento de mercado.

    Ser reconhecida como uma das referências empresariais no Brasil pela sua contribuição em Desenvolvimento Sustentável. E como uma das referências mundiais no setor pela sua contribuição em Desenvolvimento Sustentável.



Para saber mais sobre as ações da Braskem, consulte o Relatório Anual